Ninguém quer ter dor de cabeça na hora de alugar um imóvel, certo? Tanto o inquilino quanto o proprietário procuram por uma relação de confiança e respeito para que a contratação seja positiva para ambos os lados. Mas e agora: como identificar quem é um bom inquilino para o seu imóvel e como ser um bom locatário? Confira hoje no nosso blog! 

Na hora de selecionar o futuro locatário do seu imóvel, planejar e analisar alguns detalhes importantes com calma, são passos essenciais que podem evitar grandes dores de cabeça no futuro, principalmente nesta fase econômica que estamos vivendo, na qual o número de inadimplência no Brasil tem crescido tanto.

Mas como tomar essa decisão de forma assertiva, especialmente quando se tem pressa para alugar a propriedade? Quando falamos de um contrato de aluguel, a sugestão é que você sempre conte com o auxílio de uma imobiliária. Aqui na Reis Príncipe, por exemplo, toda a parte de assessoria jurídica, além da garantia de uma remuneração adequada e segura para o seu patrimônio é inclusa, afastando você de preocupações e protegendo o seu investimento de forma adequada.

Durante estes 40 anos de experiência no setor imobiliário do Rio de Janeiro, a Reis Príncipe percebeu que algumas práticas são buscadas pelos proprietários do imóvel na hora de selecionar um inquilino. Ficou curioso para saber quais são? Nós contamos pra você. Confira:

 

Pagar todas as contas em dia – e não apenas o aluguel!

Sabia que luz, gás e outras despesas condominiais são de responsabilidade do inquilino, além de possíveis despesas de manutenção e operação do imóvel? Por isso, é preciso ainda mais cuidado na hora do pagamento, principalmente se alguma conta estiver em nome do proprietário do imóvel. 

Cumprir obrigações do contrato

O locatário tem obrigação de usar o imóvel de acordo com o que ficou previamente acordado no contrato. Se lá diz que o uso é para fins residenciais, não é possível usar o imóvel para qualquer tipo de comércio ou como sala comercial, por exemplo. Por isso, antes de fechar um negócio, é fundamental que o contrato esteja claro tanto para o locador, quanto para o locatário.

Não faça obras/reformas sem autorização

O inquilino não é o dono do imóvel e, por isso, não tem qualquer autonomia para realizar reformas ou obras, por mais simples que possam parecer. Mesmo que elas sejam necessárias. Antes de qualquer mudança, é necessário conseguir uma autorização formal (escrita) do proprietário, por isso manter uma boa relação em que haja conversa e entendimento de necessidades de ambas as partes é tão essencial. É importante e imprescindível conservar o imóvel e devolvê-lo como foi encontrado.

Cuidar da conservação

Além de não modificar a estrutura do imóvel, é preciso conservar o estado dele. Tudo bem que há uma avaliação e, ao entregar o imóvel, o inquilino deverá pintar, limpar e consertar o que for preciso. Ainda assim, é importante ter cuidado com o imóvel de forma geral, incluindo a parte elétrica, hidráulica e o que houver incluso – como armários e outros móveis embutidos, louças e janelas.

Trate bem as correspondências do locador

Existe a possibilidade de que cartas, documentos, revistas em nome do proprietário ou do locatário anterior cheguem ao imóvel. Neste caso, é importante comunicar ao locador e/ou à imobiliária e guardar essa correspondência. Ser gentil é importante e facilita muito a relação entre vocês!

Por isso, cultivar um bom relacionamento com a imobiliária e/ou dono do imóvel e vice-versa é primordial. Atitudes como estas torna tudo muito mais fácil para todas as partes!